jQuery UI Tabs - Content via Ajax

INTRODUÇÃO

Este guia serve para ajudá-lo a melhor entender o que é ANEURISMA DE AORTA ABDOMINAL (AAA), sua complicações e tratamentos disponíveis.

Apenas o médico pode determinar qual tratamento mais adequado para cada caso.

As palavras em negrito no texto estão definidas no Glossário.

O QUE É A AORTA ABDOMINAL?


                A aorta é o maior vaso sanguíneo no corpo. Ele leva o sangue do coração para o resto do corpo. A aorta abdominal é parte da aorta localizada no abdômen. (veja Figura 1).


 

O QUE É UM ANEURISMA DA AORTA ABDOMINAL (AAA)?

                Um aneurisma é o inchaço ou dilatação de uma área fragilizada de um vaso sanguíneo. A parede da aorta pode se tornar frágil devido à idade, doença ou trauma. Isto pode levar a parede da aorta a inchar levando a um aneurisma da aorta abdominal (AAA), veja Figura 2. Conforme a dilatação cresce, a parede da aorta se torna mais fraca. Isto pode causar a ruptura da aorta e levar a um sangramento interno massivo. Um aneurisma rompido pode causar a morte e necessita de uma atenção médica imediata.

aaaaa

O QUE CAUSA UM AAA?


                O risco de desenvolver um AAA aumenta com a idade. O AAA geralmente afeta pessoas com mais de 50 anos de idade e é mais comum em homens do que em mulheres. Outros riscos incluem o fumo e a pressão sanguínea alta. Um paciente com histórico familiar de AAA corre um risco maior e deve consultar um médico.

 

QUAIS SINTOMAS ESTÃO ASSOCIADOS AO AAA?


                Na maioria dos casos, os pacientes não têm sintoma algum de um AAA. No entanto para aqueles pacientes que têm sintomas, o mais comum é dor no abdômen ou nas costas. A dor pode variar de leve a severa. Alguns pacientes podem sentir o aneurisma como uma massa pulsátil no abdome.
                Um AAA é freqüentemente descoberto durante um exame sendo feito por outras razões de saúde que não estão relacionadas a ele. No exame físico, algumas vezes, o médico pode palpar a dilatação ou uma pulsação no seu abdômen. Mais freqüentemente, aneurismas são encontrados durante exames médicos como uma tomografia ou ultra som.

QUAIS SÃO AS OPÇÕES DE TRATAMENTO PARA REPARAR OS AAAs?


                Se o médico achar que há risco de rompimento do AAA, ele pode recomendar o tratamento. Há dois tratamentos principais disponíveis, dependendo do diagnóstico do seu médico:

CIRURGIA CONVENCIONAL (ABERTA) ou CIRURGIA ENDOVASCULAR COM ENDOPRÓTESE


CIRURGIA CONVENCIONAL (ABERTA):


                Nesta opção de tratamento, o médico repara a aorta ao fazer uma grande incisão no abdômen. A porção do aneurisma da aorta é removida e substituída por uma prótese vascular de tecido.

                A prótese vascular de tecido é costurada no lugar e age como um vaso sanguíneo substituto. O fluxo sanguíneo na aorta é parado enquanto a prótese é colocada.
                A cirurgia convencional é tipicamente feita sob anestesia geral. Ela demora cerca de três a quatro horas para ser completada. Pacientes geralmente ficam um a dois dias numa unidade de terapia intensiva (UTI) e permanece no hospital em média por uma semana. Os pacientes podem precisar de dois ou três meses para se recuperarem completamente. A reparação aberta é um procedimento médico comprovadamente efetivo. No entanto, já que requer uma grande cirurgia, ela não é bem tolerada por todos os pacientes.


CIRURGIA ENDOVASCULAR COM ENDOPRÓTESE:


                Este é um procedimento minimamente invasivo. Uma endoprótese é colocada dentro do aneurisma sem a abertura cirúrgica do abdome. A endoprótese é um tubo de tecido apoiado por uma armação de metal.

                Este procedimento geralmente demora por volta de uma a duas horas e é feito com anestesia regional (Peridural ou Raquidiana).
                Alguns pacientes podem não precisar ficar na unidade de terapia intensiva. A estadia no hospital é tipicamente de dois a três dias. O tempo de recuperação total é em torno de três a quatro semanas.
                Riscos e benefícios estão associados às duas opções de tratamento. Pacientes devem conversar com seu cirurgião vascular sobre qual a melhor opção. Cada tratamento tem sua indicação precisa.

 

O QUE É A ENDOPRÓTESE?


                A Endoprótese é um tubo de tecido, próprio para circulação, apoiado por uma armação de metal. A endoprótese é projetada para excluir o aneurisma da circulação. A endoprótese reduz a pressão no aneurisma e proporciona um novo caminho para o fluxo sanguíneo. Isto reduz o risco de ruptura.

             A endoprótese é colocada na aorta usando um dispositivo chamado de sistema de colocação. O sistema de colocação é um dispositivo longo e fino com aparência tubular que contem a endoprótese comprimida.


COMO É FEITO O PROCEDIMENTO ENDOVASCULAR?


                Este procedimento é feito usando anestesia peridural ou raquidiana. Antes do procedimento, testes de imagem como tomografias são feitos. Estes exames permitem que o cirurgião vascular avalie o aneurisma. Uma pequena incisão é feita em ambas virilhas para preparar o procedimento da endoprótese. Fluoroscopia (Raio X) é usada para guiar o sistema de colocação até o AAA. O sistema de colocação é usado para colocar a endoprótese na aorta. O sistema de colocação é avançado através da artéria na virilha (artéria femoral) para alcançar o aneurisma abdominal.

                A endoprótese é vagarosamente liberada do sistema de colocação para dentro da aorta. Enquanto a endoprótese é liberada, ela se expande até o seu tamanho próprio a fim de que se acomode dentro da aorta tanto acima como abaixo do aneurisma. O sistema de colocação é então removido do corpo. A endoprótese fica dentro da aorta permanentemente, excluindo o aneurisma da circulação.

                Endopróteses adicionais podem ser requeridas para excluir completamente o aneurisma. Processos de imagens são freqüentemente feitos para checar se a endoprótese foi colocada apropriadamente.

QUAIS SÃO OS RISCOS DESTE PROCEDIMENTO?


                Assim como qualquer procedimento, o implante de Endoprótese apresenta riscos. Riscos:

  • Vazamentos: É o vazamento de sangue em volta da prótese para dentro do saco do aneurisma. Vazamentos podem ser detectados através de tomografias. A maioria dos vazamentos não requer tratamento.
  • Migração da endoprótese: Este é o movimento da endoprótese da sua posição original com o passar do tempo. Isto pode ser avaliado usando técnicas de imagem como tomografias.
  • Problemas relacionados ao dispositivo (por exemplo: quebra das suturas ou porção de metal da endoprótese): problemas relacionados ao dispositivo podem ser detectados usando técnicas de imagem tais como Raio X e tomografia.
  • Alergias.
  • Problemas renais e cardíacos.
  • Sangramentos.
  • Lesões na circulação.
  • Oclusões circulatórias.
  •  Ruptura do aneurisma.
  • Procedimentos endovasculares ou cirúrgicos adicionais podem ser necessários.

 

QUAIS SÃO OS BENEFÍCIOS DO PROCEDIMENTO?*
               

  • O procedimento é minimamente invasivo
  • O procedimento pode ser feito sob anestesia regional (raquidiana ou peridural)
  • Uma taxa de complicação cirúrgica menor se comparada com a cirurgia convencional (aberta)1
  • O paciente perde menos sangue durante o procedimento1
  • A maioria das vezes não necessita reposição de sangue
  • O paciente passa menos tempo na unidade de terapia intensiva após o procedimento1
  • O paciente tem uma permanência hospitalar mais curta com recuperação mais rápida se comparada com a cirurgia convencional (aberta)1

 

VOCÊ TEM INDICAÇÃO PARA O PROCEDIMENTO COM ENDOPRÓTESE?


                Baseado na sua anatomia, idade e condições clínicas, poderemos decidir se você é um bom candidato para este procedimento. Qualquer um que esteja considerando um procedimento de Endoprótese deve:

  • Estar apto a se submeter a um procedimento que tipicamente demora entre uma a duas horas
  • Estar apto a ir a consultas de acompanhamento regulares após o procedimento
  • Estar completamente informado sobre os riscos e benefícios do procedimento de Endoprótese.

 

O QUE VOCÊ SENTIRÁ APÓS O PROCEDIMENTO?


                Imediatamente após a recuperação do procedimento de endoprótese, pode lhe ser requisitado que fique deitado de costas por quatro ou seis horas. Isto irá permitir que os ferimentos nas pernas comecem a se curar. Algum leve desconforto poderá ser sentido nos ferimentos na virilha. Isto geralmente é resolvido em dois dias. Efeitos colaterais pode incluir inchaço na parte superior das coxas, torpor nas pernas, náusea, vômito, dor ou latejamento na perna, falta de apetite e febre.

 

QUE TIPO DE ACOMPANHAMENTO VOCÊ IRÁ PRECISAR APÓS UM PROCEDIMENTO DESTE?


                É importante marcar consultas de acompanhamento regulares. Resultados a longo prazo do procedimento ainda não foram bem estabelecidos. Sendo assim, o acompanhamento é importante para determinar o sucesso da sua intervenção.
                A maior parte dos problemas não possuem sintomas. Visitas de acompanhamento irá nos ajudar a checar o seu aneurisma e a endoprótese regularmente. Alguns problemas que podem ocorrer estão listados na seção “Quais são os riscos deste procedimento?”, página 8.
As consultas de acompanhamento, na maioria das vezes, ocorrerão ao primeiro mês e após, a cada seis meses. Tomografias serão feitas para avaliar a evolução do tratamento.

 

QUAIS SÃO AS LIMITAÇÕES APÓS O PROCEDIMENTO?

                Após o procedimento, no primeiro mês, não deverá fazer esforço físico. Quando completar este mês, geralmente, estará liberado para qualquer atividade, inclusive esportes. Dependerá da nossa avaliação, do seu exame de controle pós-procedimento, de suas condições físicas e evolução.

 

GLOSSÁRIO

 

Anatomia: O estudo da estrutura corporal e a relação entre suas partes do corpo.


Aneurisma da Aorta Abdominal (AAA): Dilatação de uma área enfraquecida da aorta abdominal. Este termo geralmente é abreviado por “AAA”.


Aneurisma: Dilatação de uma área enfraquecida de um vaso sanguíneo.


Aorta: Principal artéria que carrega o sangue do coração para o resto do corpo.


Artérias Femorais: Vasos sanguíneos que levam o sangue para a região da coxa de cada perna. As artérias femorais podem ser usadas como um caminho para alcançar as artéria ilíacas e a aorta.


Cirurgia Convencional (aberta)/Cirurgia Reparadora Convencional (aberta): Um tipo de cirurgia feita para corrigir o aneurisma. A aorta é reparada após se fazer uma grande incisão no abdômen. O aneurisma da aorta é removido e substituído por uma prótese de tecido. A prótese é costurada no lugar e age como um substituto do vaso sanguíneo.


Contra-indicações: Uma situação específica em que uma droga, um procedimento, ou cirurgia não deve ser usado(a), porque ele ou ela pode ser danoso(a) ao paciente.


Cirurgia Endovascular com Endoprótese: Um procedimento minimamente invasivo no qual um dispositivo em forma de tubo é colocado dentro de um vaso doente sem que o tecido que o envolve seja cirurgicamente aberto.


Endoprótese: Um tubo de tecido (enxerto) apoiado por uma rede de metal tubular (molas comumente chamadas de stents) que é colocado dentro de um vaso doente (aneurisma) sem a abertura cirúrgica do tecido que o envolve. Após ser colocada na artéria, a endoprótese se expande até um diâmetro pré-estabelecido. A endoprótese exclui o aneurisma da circulação e alivia a pressão dentro dele ao fornecer um caminho para o fluxo sanguíneo.


Endovascular: No interior ou por dentro de um vaso sanguíneo.


Vazamento: Fluxo sanguíneo para dentro do aneurisma e por fora da endoprótese, após a colocação de uma endoprótese.


Exames de Imagem: O uso de raios-X, tomografias, ressonâncias magnéticas ou outras técnicas para obter fotos do interior do corpo.


Exclusão:  Fechamento ou remoção da parte principal.


Fluoroscopia: Uma imagem de raio-X em tempo real que é vista em um monitor. Fluoroscopia é a técnica de imagem geralmente usada para visibilizar a colocação da endoprótese durante os procedimentos endovasculares.


Minimamente invasivo: Envolvendo punções ou pequenas incisões na pele sem a exposição de órgãos internos.


Ressonância Magnética (RM): Uma técnica de imagem que usa campos magnéticos para formar imagens das estruturas do interior do corpo.


Ruptura de aneurisma: Um rompimento na parede do vaso dilatado ou de uma área enfraquecida de um vaso sanguíneo, causando uma hemorragia.


Saco do Aneurisma: Uma bolsa formada no vaso sanguíneo devido ao aneurisma.


Sistema de Colocação: Um dispositivo em forma de tubo longo, que ajuda na colocação da endoprótese dentro dos vasos sanguíneos.


Tomografia: Uma técnica de imagem que cria uma série de raios-X computadorizados que forma a figura do aneurisma ou dos vasos sanguíneos.

Ultrassom: Uma técnica de exame que cria uma imagem através do uso de ondas sonoras de alta freqüência.

Resolução mínima de 800x600 © Copyright 2008

WebPack